PROJETO DE NAÇÃO

o dono é o Brasil

Ele será a sonhada Grande Estratégia Brasileira, que só existiu em algumas oportunidades, nas três décadas após a 2ª Guerra Mundial, mas sem a dimensão que se pretende e a vital continuidade.

O Projeto, por meio de propostas de alto nível, tem o propósito de criar condições favoráveis para o Estado exercer gestão estratégica competente, de modo a cumprir os papeis de facilitador, mas não gestor, do desenvolvimento responsável e contínuo do país, de garantidor da efetiva segurança nacional, e de fiador da paz e do bem-estar social, condições para proporcionar a justa felicidade ao povo brasileiro.

Um Projeto com tais dimensões e ambições necessita estar alinhado não apenas ao marco legal vigente, como também e, principalmente, precisa espelhar a identidade nacional, de modo a conquistar corações e mentes. Portanto, deve retratar o verdadeiro perfil do povo brasileiro, formado por variáveis intangíveis – valores, cultura, história e tradições – e tangíveis – o imenso território e os colossais recursos, que nos conferem singular dimensão geopolítica.

Dessa forma, do início ao final de sua elaboração, o Projeto terá como bases e focos o marco legal e aquelas variáveis intangíveis e tangíveis, pois esse conjunto revela os anseios e interesses, uns importantes e outros vitais, sejam históricos, atuais ou futuros.

O Projeto de Nação definirá rumos, objetivos e diretrizes para se elaborar as estratégias nacionais e setoriais prioritárias, que permitam construirmos o Brasil que sonharmos e refletirmos no Projeto.

O Projeto de Nação não tem dono. Pertence à sociedade e a seu povo e, assim, terá um perfil tupiniquim. Deverá contar com a participação dos mais diversos atores – pessoas físicas (cidadãos) e jurídicas dos setores públicos e privados e da sociedade civil. Somos todos Brasil!