Aerogerador balão

Fig. 01 – exemplo de aerogerador balão

A disponibilidade de energia elétrica tornou-se um dos grandes requisitos de conforto, produtividade e segurança das mais diversas operações realizadas pelo ser humano, sendo um pré-requisito para a entrada e permanência no ciberespaço.

Entretanto, dispor dela em locais remotos ou afetados por condições anormais como calamidades, exige pesada e/ou cara logística, com a operação de geradores a óleo diesel ou painéis solares. Operações militares, principalmente, ocorrem com freqüência em ambientes remotos, afetados pelas mais diversas contingências, resultantes ou não de combates, demandando, quase sempre, redundância de meios de geração elétrica.

Atualmente, está surgindo uma alternativa de fonte renovável, móvel e não poluente de energia – os sistemas aerogeradores.

Aerogeradores (Airborne Wind Turbines – AWT) consistem numa nova tecnologia para a obtenção de energia eólica em altitude variável, que podem ser semelhantes a pipas (kite), balões ou aproveitando o efeito Magnus (normalmente cilíndricos).

Ao serem colocados no ar, esses equipamentos utilizam-se da força dos ventos em altitude para a produção de energia elétrica, reduzindo a dependência de combustíveis para a operação de geradores, tornando-se uma fonte alternativa de energia limpa.

Considerando-se que essa tecnologia, em muitos casos, ainda está evoluindo do protótipo para os produtos de prateleira, trata-se de um momento bastante oportuno para investimento nelas, que podem ser valiosas para as Instituições Científico-Tecnológicas do Exército ou para a Base Industrial de Defesa, adaptando-as mais apropriadamente para pequenas Unidades Militares, ou, ainda, para estações meteorológicas isoladas.

Atualmente, os aerogeradores são capazes de produzir na faixa de 10 a 100KW, dependendo do modelo utilizado, havendo estudos para desenvolvimento de sistemas com maior potência de geração.

A grande vantagem desta tecnologia em relação aos sistemas eólicos estacionários já existentes está no aproveitamento dos ventos de altitude, em posições geográficas diversas, que possibilitam maior geração de energia, conforme figura 02.

Tal investimento pode viabilizar a evolução do protótipo para produtos mais adequados às necessidades militares, possibilitando o desenvolvimento de uma alternativa de geração elétrica simples, autônoma, móvel, apropriada às necessidades de pequenas Unidades e ambientalmente correta.

A colocação de luzes de navegação e anticolisão possibilita a operação noturna desses equipamentos.
Os custos estimados de produção de energia, segundo o Airborne Wind Energy Labs1, são inferiores a 10% dos de um gerador eólico estacionário, tornando-a uma fonte de geração de energia barata.

Tudo isto faz dos sistemas aerogeradores uma fonte alternativa de geração elétrica capaz de contribuir para sustentar atividades e operações militares ou na iniciativa privada, como por exemplo, no campo do agronegócio, operações industriais de pequeno e ações de defesa civil, entre outras.

O consórcio Sagres-Crivex pode atuar como facilitador na viabilização do desenvolvimento e integração dos sistemas aerogeradores junto aos potenciais parceiros internacionais e nacionais, na comercializa-ção, na implantação e na operação e manutenção customizadas, ao longo do ciclo de vida desses equipamentos, bem como nas interfaces da demanda e da oferta.

Aerogeradores

Fig 02 – velocidade do vento em função da altura

Exemplo de aerogerador Kite

Fig 03 – Exemplo de aerogerador Kite

[manual_related_posts]

Comments

Seu comentário é importante

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*