ECONOMIA CRIATIVA: PRÁTICAS OBSERVADAS NO BRASIL, À LUZ DO MODELO CHINÊS DE INDÚSTRIAS CRIATIVAS – REFLEXÕES INICIAIS

O presente ensaio traz uma reflexão a respeito do modelo chinês, a partir de exemplos que podem ser adaptados e aproveitados pelo Brasil, a fim de contribuir ao fortalecimento da economia e das indústrias criativas, como vias estratégicas possíveis ao desenvolvimento socioeconômico

O presente ensaio tem por proposta apresentar uma reflexão a respeito das possibilidades de contribuição identificadas no modelo chinês ao crescimento da economia criativa no Brasil, em resultado à imersão feita no Módulo Internacional de Hong Kong – realizado pela Fundação Getulio Vargas – FGV, em parceria com a The Chinese University of Hong Kong – CUHK, em novembro de 2011.

Se preferir, baixe a versão em pdf na nossa biblioteca

Comments

Seu comentário é importante

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*